pOsTmIX: tudo aquilo que esqueci

(Heathcliff, it’s me, I’m Cathy/ Gravataí 24 graus) Já em casa, depois de uma viagem muito rápida de apenas 13 horas. Normalmente duram de 14 a 16. Foi rápida porque fizemos no horário inverso. Ao invés de sair as 4 da madrugada, saímos as 16 horas.

Faltaram alguns poréns sobre nossa ida até Sampa. E vou falar neles agora.

Adalgisa/Guarulhos

20180219adalgisa

Primeiro, fomos até Guarulhos, encontrar com a Adalgisa, comer um cachorro quente e botar a conversa em dia e os dogs pra correr. Nunca tinha ido até lá

Não falamos muito de agility, assim como nós, ela está meio afastada. Mas sobre Pokemon… nóssa… Ela e o Théo trocaram várias ideias. Valeu pelo convite. Conhecemos o dog novo dela, ô Tommy Hilfinger.

Galeria do Rock

20180219rock

Já havia dado uma passada lá, uns cinco anos atrás, acho. Foi muito bom, é um lugar diferente, tem uma poluição visual, é muita coisa pra olhar e você nunca vê tudo. Se fosse lá no outro dia provavelmente veria coisas que não vi antes.

Em alguns andares passamos duas vezes e na mesma loja, mesma vitrine, vi algo que não havia me atentado. Rock, Tattoo, Skate, jogos… é muita coisa do meu interesse, ainda que tatuagem mesmo eu não tenha. Isso é estranho.

Campo de Marte

20180219baR

Esse é um lugar legal pra almoçar. Na volta da galeria do Rock a gente não sabia onde comer, aí lembrei que durante as feiras no Anhembi algumas vezes nós jantamos no Bar da Brahma, que fica ali dentro do Campo de Marte.

Fomos lá e estava aberto.

É legal almoçar e não jantar, porque durante o dia você consegue ver os aviões taxiando na pista, os helicópteros levantando voo. Ah, mas quem nunca viu um avião? Olha numa cidade normal qualquer um já viu. Não sei até que ponto é legal, mas eu curto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *